domingo, 7 de setembro de 2008

Os Primeiros Goles

Havia uma menina mais velha que ela bebendo água no bebedouro. Colocou-se em fila, aproveitando para observá-la, vendo exatamente o que teria que fazer com as mãos e a boca. Ainda bem que não havia ninguém por lá. Chegou sua vez! Levantou os pezinhos o máximo que pode e esticou as perninhas curtas. As marias-chiquinhas balançavam em pequenos movimentos circulares, em sintonia com a agitação do seu coração. Apertou o botão com o dedo indicador esquerdo, e nada. Tentou o polegar, sem sucesso. Baixou os pezinhos para descansar, relaxando mãos e braços. Olhou em volta para certificar-se de que não havia mesmo ninguém. Talvez fosse melhor ir embora; resolveu ficar. Respirou fundo, levantou os pezinhos ainda mais alto, apertou o botão com o polegar esquerdo, desta vez pressionando-o com toda a mão direita. Força total! Sentiu um jato rápido de água subir, penetrando-lhe as narinas, num susto-gozo. De novo! Agora sim, fez um biquinho de passarinho e sorveu o néctar da fonte. O que não dava conta de absorver, corria-lhe pelo queixo, terminando em desenhos abstratos em sua camiseta.

- Professora, posso ir beber água?
- De novo, Júlia?!